terça-feira, 28 de agosto de 2012

PRUDENTE COMO AS SERPENTES,SÍMPLICES COMO AS POMBAS

Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos. Portanto, sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas" (Jesus, no Evangelho de Mateus, capítulo 10, versículo 16)




Por esses dias, estive conversando por SMS com um irmão em Cristo, e lembrei-me dessa citação de JESUS. Como é bom obedecer a voz do Espirito Santo, resolvi ir mais fundo e pesquisar mais sobre ela...

O QUE JESUS QUIS DIZER AO AFIRMAR QUE DEVEMOS SER PRUDENTES COMO AS SERPENTES E SÍMPLICES COMO AS POMBAS?

Essa exortação foi dita pelo próprio Senhor Jesus aos seus discípulos. E, se somos discípulos dele, isso nos inclui. Há várias verdades contidas nesse texto tão pequeno, e que precisamos entender. A primeira coisa que observamos é a metáfora que o Senhor Jesus utiliza ao iniciar a frase: “ovelhas no meio de lobos”. Por mais que essa expressão tenha suas próprias lições a nos ensinar, eu queria pensar com você sobre o restante do verso, que nos exorta a sermos “prudentes como as serpentes e simples como as pombas”.
Ora, para entendermos plenamente o que o Senhor Jesus tinha em vista, precisamos ver que exemplos a Bíblia nos dá de prudência e simplicidade, e também o que ela diz acerca de serpentes e pombas. Assim, acharemos no livro de Provérbios alguns versos interessantes sobre a prudência e a simplicidade:
“O simples dá crédito a tudo; mas o prudente atenta para os seus passos.” (Provérbios 14:15)
“O prudente vê o perigo e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena.” (Provérbios 22:3)
Assim, fica razoavelmente aparente que prudência e simplicidade são conceitos antagônicos. Em ambos os versos, o simples é comparado com o prudente como sendo conceitos quase que diametralmente opostos. Se é assim, como podemos ser prudentes e simples ao mesmo tempo, a fim de obedecermos ao que o Senhor nos ensinou?
Para entendermos, primeiro precisamos entender o que significa sermos “prudentes como as serpentes”. Que tipo de prudência é essa? E por que a figura da serpente? Se queremos de fato compreender isso, precisamos olhar para o primeiro exemplo de serpente encontrado na Bíblia:
“Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?” (Gênesis 3:1)
Examinando esse texto com cuidado, perceberemos que a principal característica da serpente foi sua capacidade única de reconhecer o mal, ou aquilo que poderia levar a ele. A serpente fez exatamente as perguntas necessárias para afastar a visão da mulher do mandamento de Deus, e para fazer com que esta se voltasse para o seu próprio desejo. A serpente foi astuta quanto a identificar o mal.

Analisando, fisiologicamente a serpente, ela  é um réptil sem patas que se alimenta de carne e ovos, e de vasta espécie dependendo a espécie pode correr de 13 km/h a 20 km/h. seu peso depende da sua éspecie: Tem por hábito de estrangular suas vitimas quando não mata envenenado. No Brasil existe 321 delas aproximadamente 10% do total do mundo, das quais apenas 36 são peçonhentas, pois no mundo existem média de 2.930 espécies de serpentes.
As serpentes não tem orelha externa, ela só consegue detectar o barulho pela a vibração. As serpentes não sentem o cheiro propriamente pela narina.Todo o sistema de captação de partículas dispersas no ar, que constituem o odor, é realizado pela língua. Isso faz com quer ela conheça o ambiente mesmo no escuro. Ela não enxerga como os homens, pois tem um sistema de infravermelho no globo ocular que a leva captar a imagem através do calor do corpo.
Vamos agora para prudência desse animal....

1-Por prudência a serpente vive em alerta discernindo bem o perigo ainda distante e em qualquer circunstância da natureza, pois seus sentidos faz o discenimento e logo ela bate em retirada.
2-Por prudência a serpente não anda em exibição, mas anda bem escondida essa prudência a faz ter êxito nas investidas tanto no combate quanto na hora de se alimentar. Ela sabe que essa falta de prudência também pode lhe custar a vida. Pois, é um animal muito perseguido por gaviões e outros predadores.
3-Por prudência a serpente faz a sua morada no fundo das cavernas rochosas. Nas grandes rachaduras das penhas, lugar de difícil acesso e quase impenetrável, ela não é como as minhocas que em qualquer terreno faz sua casinha. Essa prudência, propicia a serpente estabilidade, e uma boa segurança contra os eventuais fenômeno da natureza e ataque de inimigos. Dando-lhe uma reprodução tranquila e constante.
4-Por prudência a serpente troca-se várias vezes a pele que a cobre... Deixando-lhe mais renovada. Pois, a casca retirada estava desgastada e cheia de parasitas. Com esse feito a serpente adquire habilidade e um bom desempenho na vida. A falta dessa renovação fará que tenha, uma vida monótona sem habilidade. Pois, a proliferação de parasitas lhe trará problema de saúde gravíssimo e por fim a morte.


Guardemos isso por um instante, porque agora precisamos saber o que significa sermos “simples como as pombas”, e para isso precisamos encontrar a primeira menção de uma pomba na Bíblia:
“Depois soltou uma pomba, para ver se as águas tinham minguado de sobre a face da terra; mas a pomba não achou onde pousar a planta do pé, e voltou a ele para a arca; porque as águas ainda estavam sobre a face de toda a terra; e Noé, estendendo a mão, tomou-a e a recolheu consigo na arca. Esperou ainda outros sete dias, e tornou a soltar a pomba fora da arca. À tardinha a pomba voltou para ele, e eis no seu bico uma folha verde de oliveira; assim soube Noé que as águas tinham minguado de sobre a terra. Então esperou ainda outros sete dias, e soltou a pomba; e esta não tornou mais a ele.” (Gênesis 8:8-12)
A pomba, nesse texto, teve um comportamento simples; ela só pousou quando achou terra seca. Seu comportamento era tão simples e direto que Noé identificou imediatamente que o fato da pomba não haver retornado significava que tinha encontrado pousada. Assim, a simplicidade da pomba, no contexto bíblico, está em fazer sua morada em terra firme.

A pomba adulto mede em média entre 32 e 37 cm de comprimento com uma envergadura variando entre 64 e 72 cm Tem uma cabeça cinza-azulada e escura, tendo pescoço e o peito com tons amarelados brilhantes e penas das asas com manchas verde e vermelho-púrpura. A íris é laranja, vermelho ou dourado com um anel pálido interno, e o olho é cinza-azulado. A fêmea adulta é quase idêntica ao macho, mas a iridescência no pescoço é menos intensa e mais restrita para sua parte traseira e nas laterais, enquanto que o peito é muitas vezes mais obscuro.A cauda tem uma faixa preta na extremidade, enquanto que na faixa externa há uma "margem" branca. Sua asa é forte e rápida, devido às necessidades de adaptação às características dos ambientes de onde se originaram e vivem.
A cor dos olhos do pombo é geralmente laranja, mas alguns poucos podem ter olhos com tom cinzento. As pálpebras são cor de laranja e encapsuladas em um anel ocular branco-acinzentado. Os pés são de vermelho para rosa. Aves jovens mostram menor intensidade de brilho
Quando sobrevoa com a asa superior o branco da ave se torna visível. Quando em fuga, é típico pronunciar algo parecido com um "COO". Apesar de os campos serem ricos em grãos e alimentos verdes, em lugar nenhum do campo são tão abundantes como nas cidades.
Pombos alimentam-se no chão em bandos ou individualmente. Eles pousam e abrigam-se juntos em edifícios, muros ou estátuas. Ao beber, a maioria das aves toma pequenos goles e inclinam a cabeça para trás para engolir a água. São capazes de andar pelas suas poças de água e beber continuamente.
Pombos teleguiados e treinados são bem conhecidos pela habilidade de encontrar seu caminho para casa a partir de longas distâncias.

Assim entendemos como podemos ser prudentes e simples ao mesmo tempo — basta ser prudente ou simples para coisas diferentes. Assim, devemos ser prudentes quanto ao mal, ao identificar o mal, para fazermos o bem; e simples quanto ao bem, para identificar o bem na “terra firme” da palavra de Deus, de modo que esta nos guarde do mal.
“O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem.” (Romanos 12:9)
“Pois a vossa obediência é conhecida de todos. Comprazo-me, portanto, em vós; e quero que sejais sábios para o bem, mas simples para o mal.” (Romanos 16:19)

Mostraremos nossa prudência ao identificarmos o mal e fugirmos dele; mostraremos nossa simplicidade ao exercer o bem em amor e humildade, fundamentados na Rocha que é Cristo, e nas palavras que ele nos deixou. Seremos prudentes se atentarmos ao exemplo da serpente no Éden, no reconhecimento de nossas fraquezas, cuidando para que não sejamos enganados; seremos simples se obedecermos à palavra de Deus que temos com coração inteiro e sincero, submisso e disposto, mesmo em face de perdas pessoais. Devemos ser prudentes no evitar o mal (para buscar o bem), mas simples no opor-se ao mal (para encontrar o bem); prudentes no zelo da palavra de Deus, simples no entender e no obedecer à mesma; prudentes quanto a tudo que não vem do nosso Senhor, simples quanto a tudo que vem dEle. Assim, sendo prudentes e simples, seguiremos o exemplo do nosso Senhor Jesus, e obedeceremos à sua palavra; e acharemos nele o refúgio contra o mal, e a expressão maior do bem maior, que é o nosso Deus.

“Irmãos, não sejais meninos no entendimento; na malícia, contudo,  não sede criancinhas, mas adultos no entendimento.” (I Coríntios 14:20)

Fontes: http://www.smalltalk.com.br/blogs/biblog/2005/08/09/prudentes-e-simples/
            http://www.venhavencer.com/news/o-justo-prudente-como-a-serpente/
            http://pt.wikipedia.org/wiki/Pombo-comum





Nenhum comentário:

Postar um comentário